Bruxaria - Wicca



 Ao pensar em uma bruxa, a pessoa  logo lembra daquela 
senhora voando  em uma vassoura... seria engraçado se
 não fosse tão sério. O que as pessoas  deveriam lembrar 
é da velha inquisição,  onde vidas foram tomadas, 
até mesmo sem provar a culpa da vítima.

Tempos longínquos, mas muito marcantes...
 e são esses fatos que são relembrados com curiosidade pela humanidade.
 Tempos de proíbição, a mulher deveria casar vírgem, e servir ao homem
 sempre com a  disposição que lhe fosse determinada. Era a época onde se
 deveria agir pela fé, ou seja, justificar toda fé.

Só não sabiam que essa fé chegaria tão longe, ao ponto de matar pessoas,
 seres humanos, justificando a vontade divina. Hoje, o principal fundamento
 da vida é a razão.

Paracelso disse que as bruxas o tinham ensinado tudo o que sabia sobre cura.
 Em 1570 o carcereiro do Castelo de Canterbury libertou uma feiticeira
 condenada, justificando, com a opinião popular, que ela sozinha era melhor
 para tratar os doentes do que todos os e padres e exorcistas. Feiticeiras ou
 Fadas?

No início da Idade Média, quase todas as mulheres podiam ser chamadas de
 bruxas, já que qualquer mulher sabia mais sobre superstições e
 encantamentos do que uma centena de homens. Até o século 15, os "Feitiços
 e Encantamentos" das mulheres foram, virtualmente, o único depositário de
 prática médica. As mulheres da idade média conheciam o poder das ervas,
 dos ciclos lunares, dos ventos, das chuvas, estrelas e planetas. Estavam
 profundamente ligadas por um amor e agradecimento à Terra e todas as
 manifestações de força e poder que vinha desta.
Os pagãos acreditam que a
 volta da ligação com a natureza é o único caminho para uma vida
 harmônica e equilibrada, por isso todos os Ritos sagrados da Bruxaria estão
 centrados na Estação do Ano e fases lunares.

Bruxas nunca comprometem seus filhos com a sua fé particular, pois
 acreditam que cada um deve seguir o seu próprio caminho. As crianças
 sempre são ensinadas à honrar sua família, amigos, a ter integridade,
 honestidade, a tratar a Terra como sagrada e a amar e respeitar todas as
 formas de vida. O fanatismo é repudiado pelos pagãos, assim como o
 proselitismo é inadmissível. Acreditam e aceitam a Lei Tríplice, que
 determina que um ato sempre tem a resposta em efeito bumerangue. O que se
 faz retorna 3 vezes para o emissor, portanto tratam de gerar bons
 pensamentos e fazer todas as coisas sempre para o bem de todos os
 envolvidos. Respeito na mesma proporção não só a seres humanos, mas para
 a Terra, animais e plantas.

Todos os tipos de bruxaria são derivados do Xamanismo primitivo. Para a
 Wicca, existe um princípio criador , que não tem nome e está além de todas
 as definições. Desse princípio, surgiram as duas grandes polaridades, que
 deram origem ao universo e a todas as formas de vida. A Grande Mãe
 representa a Energia Universal Geradora e é associada a lua, intuição, noite
 , escuridão , receptividade; é o inconsciente, o lado escuro e desconhecido da
 mente.

A contraparte , nasceu da Deusa pois achavam que toda luz nasce da
 escuridão. Essa contraparte é o Deus , símbolo solar da energia masculina
 com atributos de coragem, fertilidade, saúde e alegria.É preciso perceber seu
 caráter simbólico e mítico, pois todas as coisas nascem do útero da Deusa
 Mãe e para ele tudo retornará.

"Os rituais de bruxaria tem a sua origem perdida no tempo, desde os Tempos
 Celtas, diga-se de passagem, Belos Tempos, onde a natureza era o princípio
 de tudo, onde a fé era profunda, onde a mente humana tinha um poder
 incalculável, pois o ser humano sabia como fazer uso do que lhe era
 proporcionado."